Jornalistas de Gaza são homenageados pela Unesco no Dia Mundial da Liberdade de Imprensa

Jornalistas de Gaza são homenageados pela Unesco no Dia Mundial da Liberdade de Imprensa

Nasser Abu Baker, presidente do Sindicato dos Jornalistas Palestinos, recebe prêmio da Unesco em nome dos colegas (Foto: divulgação IFJ) Redação MediaTalks04.05.2024compartilhar

da sport bet: Os jornalistas de Gaza foram reconhecidos pela Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura ) com o prêmio Guillermo Cano durante a conferência do Dia Mundial da Liberdade de Imprensa, que está sendo realizada em Santiago (Chile).

da magicred: Cano, que dá nome à homenagem, foi um jornalista colombiano assassinado em frente à redação de seu jornal El Espectador, em Bogotá, em 1986.

Nasser Abu Baker, presidente do Sindicato dos Jornalistas Palestinos (PJS), recebeu o prêmio da Unesco em nome dos colegas que estão trabalhando em Gaza e lembrou em seu discurso os que perderam a vida no conflito.

“O preço de transmitir a verdade na Palestina tornou-se a vida do jornalista e, por vezes, a vida da sua família. Todas os veículos de comunicação em Gaza foram destruídos e os jornalistas estrangeiros também foram excluídos”, disse Abu Baker.

O governo de Israel tem sido pressionado por empresas jornalísticas e correspondentes internacionais a permitir a entrada de profissionais de imprensa na região.

Mas os pedidos não foram atendidos e apenas jornalistas locais conseguem transmitir informações sobre a guerra, em condições precárias de trabalho, segurança e sobrevivência.

Prêmio para jornalistas em Gaza após mais de 100 mortes

Desde 7 de outubro, segundo a Federação Internacional de Jornalistas (IFJ, na sigla em inglês), mais de 100 jornalistas e profissionais de imprensa em Gaza morreram em ataques de Israel, uma taxa de mortalidade superior a 10%.

Quase todos os cerca de 1 mil profissionais de mídia registrados na região do perderam familiares, escritórios e as suas casas. “Muitos estão agora desesperadamente famintos e com falta de bens de primeira necessidade”, diz a IFJ.

O Sindicato foi indicado pela Federação para receber a homenagem, que inclui uma dotação de US$ 25 mil da Unesco.

Ao entregar o prêmio, Mauricio Weibel, presidente do júri internacional, disse que a humanidade tem “uma enorme dívida para com os jornalistas palestinos” por sua coragem e compromisso com a liberdade de expressão.

Audrey Azoulay, diretora-geral da Unesco, afirmou que o prêmio Guillermo Cano para os jornalistas palestinos é uma forma de lembrar sobre “a importância da ação coletiva para garantir que os jornalistas de todo o mundo possam continuar a realizar o seu trabalho essencial de informar e investigar”.

Tags :Gazaguerraliberdade de imprensaUNESCO

Redação MediaTalks04.05.2024